Empresa desenvolve osso a partir de células-tronco de gordura do próprio paciente

Em Israel, uma empresa consegue desenvolver ossos a partir de células-tronco colhidas da gordura do próprio paciente.  

Uma empresa israelense conseguiu desenvolver ossos a partir de células-tronco colhidas da gordura do próprio paciente. O grupo Bonus Biogroup, uma empresa de medicina regenerativa, descobriu um método capaz de retirar as células de gordura do paciente por meio de lipoaspiração. Os ensaios clínicos começarão na Europa, em aplicações que vão desde cirurgias odontológicas até a substituição de tecido ósseo perdido em decorrência de acidente ou de doença.

“O método existente hoje é o de enxerto ósseo autólogo, com ossos de outras partes do corpo sendo colocados onde for necessário”, diz o CEO da Bonus Biogroup, Shai Meretzki. “Para isso, são necessárias duas operações, o que não é a solução ideal”, continua. “A vantagem do nosso método é que o processo de cura é muito mais rápido”, completa.

Usando uma imagem em 3D da área de um osso danificado, a metodologia constrói um “andaime” na forma e dimensão desejadas. Em seguida, uma cultura viva de células é introduzida no interior de um biorreator, que imita o ambiente celular do corpo humano. Depois de alguns meses, o osso, compatível com o corpo do paciente, está pronto.

Fonte: Assessoria de imprensa do Centro de Mídia Brasil-Israel

LEIA TAMBÉM

Brasil faz teste inédito com células-tronco para doença pulmonar

O Brasil inicia teste mundial do uso de células-tronco adultas no tratamento de doenças respiratórias em humanos O Brasil inicia…

LEIA TUDO >>

Imprensa

Entre em contato com nosso Departamento de Comunicação através do e-mail comunicacao@cordcell.com.br ou ligue para (11) 3660-6030/6005. Essas são as…

LEIA TUDO >>

Nathalia Pizato Valerio

DEPOIMENTO NATHALIA PIZATO VALERIO 16/11/2012 Coletei as células-tronco de minha filha como a maior demonstração de amor e cuidado por…

LEIA TUDO >>

RECEBA AS ÚLTIMAS NOVIDADES:  

© Copyright 2018 CORDCELL. Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento: mufasa