Tratamento com célula-tronco para incontinência urinária

O estudo sugere que a abordagem é segura, melhora a qualidade de vida do paciente e pode ser um tratamento efetivo para a condição

No primeiro estudo clínico do tipo realizado na América do Norte, mulheres com incontinência urinária foram tratadas com injeções de células-tronco para fortalecer músculos deficientes do esfíncter. O estudo conduzido por pesquisadores da University of Pittsburgh School of Medicine e Sunnybrook Health Sciences Centre, em Toronto, sugere que a abordagem é segura, melhora a qualidade de vida do paciente e pode ser um tratamento efetivo para a condição.

“A técnica para atingir a eficácia ótima está em desenvolvimento, mas estamos satisfeitos com o que o estudo apresentou”, disse a pesquisadora principal do estudo, Lesley Carr, M.D., urologista do Health Sciences Centre e professora assistente da University of Toronto. “Agora temos evidências preliminares que as células-tronco são seguras para serem utilizadas e parece que melhoram a incontinência urinária na mulher”.

Estudos prévios da University of Pittsburgh School of Medicine com a doença mostraram que injetar células-tronco nos músculos da uretra aumenta a pressão levando a restauração de músculos deficientes. Os resultados desses estudos formaram a base para o estudo clínico.

“Cerca de 13 milhões de pessoas, a maioria delas mulheres, convivem com a incontinência urinária nos Estados Unidos”, disse Michael B. Chancellor, M.D., autor do estudo e professor de urologia e ginecologia na University of Pittsburgh School of Medicine. “Mostramos pela primeira vez que podemos oferecer um tratamento minimamente invasivo e de longa duração para pessoas com o problema”.

No estudo, pesquisadores utilizaram biópsias do tecido músculo-esquelético de 7 pacientes mulheres, isolaram e cultivaram as células-tronco do tecido. No ambulatório, as pacientes receberam as injeções de células-tronco na área em torno da uretra. Cada paciente recebeu uma dose igual de células-tronco utilizando três diferentes técnicas de injeção – injeção transuretral com agulhas de 8 mm ou 10 mm ou injeção periuretral.

Cinco das sete mulheres que participaram do estudo relataram melhoras no controle da bexiga e qualidade de vida, sem efeitos adversos sérios. As melhoras foram observadas tanto naquelas que receberam células-tronco injetadas utilizando agulhas de injeção de 10 mm como as que receberam injeções periuretrais.

Mulheres com incontinência urinária perdem urina involuntariamente durante atividades que colocam pressão sobre a bexiga, tais como correr, tossir, espirrar ou dar gargalhadas. A incontinência é causada por parto, menopausa ou cirurgia pélvica e é normalmente diagnosticada durante a meia-idade.

Fonte: Annual Meeting of the American Urological Association Proceedings, 21/05/2006.

Comentário:

A possibilidade de utilização das células-tronco no tratamento de patologias onde as alternativas de tratamento ainda são limitadas tem incentivado especialistas da área. Os resultados obtidos nas últimas pesquisas têm caminhado para inclusão do uso das células-tronco na prática médica.

Telma Ingrid Borges de Bellis Kühn
Mestre em imunologia
Docente do curso de pós-graduação em hematologia e hemoterapia do Senac
Diretora Técnica da CordCell

LEIA TAMBÉM

Congresso ASCO – São Francisco- Califórnia

Congresso ASCO – São Francisco- Califórnia   Iniciamos o ano de 2016 com o Dr. Lucas Vieira dos Santos, Médico…

LEIA TUDO >>

São Lucas Cell Therapy Group ministra palestra em congresso de medicina regenerativa em Singapura

São Lucas Cell Therapy Group ministra palestra em congresso de medicina regenerativa em Singapura O São Lucas Cell Therapy Group,…

LEIA TUDO >>

Mel Lisboa

DEPOIMENTO MEL LISBOA 19/04/2012 Mel Lisboa, atriz, escolheu a CordCell para guardar as células-tronco da Clarice.

LEIA TUDO >>

RECEBA AS ÚLTIMAS NOVIDADES:  

© Copyright 2019 CORDCELL. Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento: mufasa